Cadê os sentimentos das pessoas?

Um dia desses eu parei para pensar em quanto tempo eu não vejo casais felizes, daqueles que dá gosto de vê-los juntos.  Pensei também há quanto tempo eu não vou em um casamento, no número de amigos e amigas minhas que estão fazendo terapia e em quanto tempo eu mesmo estou solteiro.

Quem é capaz de responder essas perguntas? Será que o terapeuta consegue? Será que deveríamos nos conhecer mais e nós mesmos responder a tantas perguntas? Você consegue responder isso?

Eu sei que já fiz essa pergunta um milhão de vezes, mas será que ninguém é mais capaz de expressar sentimentos? Será que isso é uma coisa old fashioned? Aliás, a moda não resgata tantas coisas? Por quê não resgatar os velhos hábitos? As cartinhas que guardávamos meses até criar coragem de entregar, as mãos dadas sem interesse sexual (sim, havia isso)…Cadê isso? Onde foram parar os sentimentos das pessoas.

Hoje temos que fingir estarmos alegres quando estamos apodrecendo por dentro? Temos que mostrar felicidade quando estamos infelizes? Temos que descontar nossas fraquezas e erros no próximo? Temos que criticar ao invés de sugerir carinhosamente uma nova conduta?

Quem está sempre comigo sabe que eu sou mega ligado nessa coisa de comportamento. Sou chatérrimo em relação às boas maneiras, mas sobretudo, em relação ao respeito. Claaaaro que eu sou malzinho às vezes, mas quem não é? Num balanço, acho que nesse ano eu acertei mais do que errei. Fui um bom amigo, um bom filho, bom profissional, bom aluno médio. Poderia ter sido ótimo em alguns pontos e péssimo em outros. Mas quem é que consegue esse equilíbrio?

E se vc está lendo até aqui, deve estar pensando o que isso tem a ver com sentimentos. Tudo. Tem tudo a ver. Em 2010 eu guardei os meus num cofre. Escondi de mim mesmo. Não me deixei ter contato com eles. E isso me trouxe ganhos e perdas. Ganhei mais equilíbrio em determinados momentos (quando pedi demissão de um trabalho que eu amava, por exemplo). Eu precisava de coragem. E o comodismo (um mal sentimento) me impedia. Perdi possibilidades também. Quando poderia me dar espaço para conhecer gente nova, eu estava ocupado comigo mesmo, com o meu trabalho novo, com meus amigos de sempre, nos lugares de sempre, falando coisas de sempre (jornalismo, relacionamentos falhos, quem está namorando com quem, quem terminou com quem, e analisando o look de quem está no bar).

Em 2010, eu simplesmente ignorei a existência dessa caixa de sentimentos que eu guardei a sete chaves. Acho que nem me lembro onde estão essas chaves.

Eu descuidei de mim mesmo. Andei por aí descabelado, com o carro sujo, com roupas velhas, eu engordei, deixei de ir ao dentista, os cremes perderam a validade no banheiro e eu nem usei. Gastei mais do que podia. Não li os livros que comprei ou ganhei. Mesmo assim, no fim das contas, eu me saí bem. Estou um bagaço em alguns aspectos, mas expert em outros.
Consegui muuuito material para o meu livro, que entrou e saiu da gaveta por três vezes. E nem sei se vai sair de vez em 2011.

Para 2011, um ano ímpar – eu detesto anos ímpares – eu quero abrir essa caixinha, espalhar todos os sentimentos no chão e escolher os que vou usar. O resto vai ficar lá. Se eu precisar deles, eu busco, se não, me viro e acho uma alternativa pra resolver tudo sem eles.

Mas aqueles básicos, que na verdade nem são sentimentos, RESPEITO, EDUCAÇÃO, AMIZADE, BONS MODOS E GRATIDÃO, esses eu vou usar sem moderação alguma.

Pra completar o processo de retrospectiva sobre sentimentos que eu estava fazendo hoje, uma amiga me disse, logo pela manhã, que estava super afim de um rapaz que conheceu viu ontem à noite. Segundo ela, o cara é lindo, malhado, se veste bem e parece ser divertido. Isso mesmo, PARECE. Ela não conhece. Ela viu, achou lindo e disse que quer.
Peraí… um feinho não serve? Um bom de papo não serve? Eles não vão nem conversar? O que será que rola no primeiro encontro? Cadê os olhares, cadê as mãos trêmulas? CADÊ O SENTIMENTO?

Porque todo mundo está tãaaaao preocupado em ser perfeito? Quem é perfeito? Pra ser perfeito não pode ter sentimento? Pra ser um bom profissional tem que destruir o colega? Pra conseguir a garota mais bonita do bar tem que ser o mais malhado, ter a potência do som do carro maior do que a dos outros?

E parece que esse sentimento não é exclusivo meu. Na imagem acima, um print de uma twittada da minha amiga @nataliapnunes. Uma frase super cabível ao momento.

Eu queria muito, muito mesmo, que em 2011, as pessoas fossem mais humanas. Menos encrenqueiras e mais preocupadas com o próximo. Só isso. A Paz Mundial eu peço em 2012.

Pra completar esse texto, uma música do mestre do bom senso na criação musical: Arnaldo Antunes.

Socorro
Arnaldo Antunes

Socorro – Arnaldo Antunes (Acústico MTV)

2 comentários sobre “Cadê os sentimentos das pessoas?

  1. Liara Abrão disse:

    Sabe querido Cris. Suas perguntas podem parecer óbvias e repetitivas.. mas são tão complexas e atuais!!! Questionar o sentimento, a sensibilidade do outro, a delicadeza, as relações interpessoais verdadeiras é para poucos. É para quem se preocupa de verdade com o real valor da vida! Excelente reflexão para o final de ano! Obrigada por me dar o prazer de tê-lo como amigo!

  2. Vanuza Nobre disse:

    Amei esse texto Cristiano. O mundo já não se preocupa com sentimentos. Se preocupa, disfarça bem. Algumas pessoas passam por cima das outras, no afã de se sentirem superior. Ledo engano. Serão cada vez menores.

Deixe uma resposta